Impressão Digital…

Pus-me a pensar no que seria isto para mim… Instantaneamente olhei para os meus dedos, mas em vez de reparar nas ténues linhas, reparei numa cicatriz que tenho. É algo que é só meu e que ninguém tem igual. Se eu visse um milhão de mãos, conseguiria distinguir as minhas por causa daquela pequena marca no meu indicador esquerdo.

– As minhas mãos são únicas, assim como eu. – disse em voz baixa.

Subitamente, a ideia de qual seria então o significado de impressão digital começou a formar-se.

É algo que faz parte do nosso ser, algo que não pode ser mudado, algo que está tão gravado em nós como a própria vida. Poderíamos desejar ter outra, mas na realidade isso seria inútil. Que importa se não penso como o resto do mundo, se não falo da mesma forma, se me rio com piadas sem graça, ou se por vezes me sinto triste quando tudo corre bem?

Sou da opinião que nos devíamos deixar de preocupar com o que somos ou com o que não somos, porque a vida é demasiado curta para isso e se há coisa que ao longo dos anos tenho vindo a aprender é que o que custa não é viver, mas sim, saber como fazê-lo.

Margarida Ferreira, 9ºD


Esta entrada foi publicada em Escrever..., Reflexão com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta