O PRETO DA VIDA

A vida é longa e cansativa,
Para uns, uma desilusão, para outros, uma tentativa.
Os desaires são lembrados e os triunfos desvalorizados.
É como um livro com capítulos estragados.

A paciência acaba-se e a raiva controla-nos,
E a vida vai passando à nossa frente.
As pessoas esgotam-nos,
E sentimo-nos num rio a nadar contra a corrente.

A luz termina na nossa alma,
E o branco escurece,
O negro tira-nos a calma,
E sentimos que a nossa vida nunca mais aquece.

A mim, apetece-me desistir
E nunca mais voltar,
Não tenho razões para sorrir,
Ou para continuar a lutar.

Gonçalo Lopes


Esta entrada foi publicada em Escrever..., Poesia com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta