Margot Fonteyn

Margot Fonteyn era uma bailarina sem igual. Era graciosa e de uma elegância extrema. Parecia uma borboleta que esvoaçava calmamente num palco que podia ser considerado o seu habitat.
Quando bailava, mantinha a sua postura muito direita, muito certa, como uma árvore que às vezes balançava com a brisa do vento.
Mas Margot também sofria. Devido ao uso das pontas, os pés que pareciam ser os mais belos, na verdade escondiam marcas das feridas causadas pela exigência do esforço físico diário dos treinos e dos espetáculos onde atuava como Prima Ballerina.

Beatriz Martín Borges (8º ano)


Esta entrada foi publicada em Descrição, Escrever... com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta