Poemas ao estilo de Alberto Caeiro

Sento-me no verde e inspiro
Inspiro tão fundo que o ar fresco
Se mistura no meu ser.
Assim, a natureza apodera-se de mim,
Envolvendo-me com as suas raízes
Fazendo de mim nada mais do que sou.

Margarida Carvalho, 12º B

 

Sensações, ó sensações
Pensamentos vão todos fora
Só agora oiço canções
Que não ouvira outrora.

Mas que alegria a que sinto
Viver bem e não minto
Que tudo o que toco é a vida
E apenas tem uma viagem de ida.

Nada é tão simples
Como dormir na natureza,
Despertar e ter a certeza
De que não me maçarei a pensar.

Porém, acabo de arranjar um problema
Que parece não ter solução,
Mas seguirei o meu lema
E viverei com o dom da visão.

Miguel Pereira, nº 23, 12º A


Esta entrada foi publicada em Escrever..., Poesia. ligação permanente.

Deixe uma resposta