Homenagem ao 7.º E e à língua portuguesa

Nos últimos dias do ano letivo, a Catarina Casaca decidiu prestar uma homenagem à sua turma, 7.º E, através da escrita de um poema. A Catarina escreveu ainda um outro poema sobre a língua portuguesa.

Partilhamos convosco as palavras bonitas desta aluna.

 

Boa leitura e boas férias! 🙂

 

AO 7.º E

No início do ano
Eu não tinha opinião
Sobre a turma
Que me iria colorir o coração
Esperava que ela
Fosse diferente da história já lida
Esperava que ela,
Como um facho, iluminasse a escuridão,
Mas nesta altura
Eu não sabia
Que esta me iria colorir o coração.
Dentro de mim
Sentia melancolia,
Mas não sabia se lá também se encontrava alegria
Ou se era apenas tristeza
De deixar a minha antiga turma ilesa.

Partindo à descoberta
Da miragem desta turma
Descobri que ela era esperta,
Era a companhia da solidão.
Aí sim, apercebi-me
Que ela me iria colorir o coração.

Esta minha segunda família
Podia ser transparente como um cristal
Ou magoar com a força de um punhal.
Apercebi-me que as suas palavras
Tinham significado
E uma grande importância,
Pois é quem me acompanha, lado a lado,
Em cada passo.

Agora que o ano acaba
E importantes amizades fiz,
Olho com olhos lassos
Para o caminho que tracei a giz.
Olho com olhos álacres e sedentos
Para o ano que vem aí.
E olho para os minutos lentos
Que fazem esperar
Cada pedaço de mim.

***

 

AULAS DE PORTUGUÊS

Desde pequena,
Dou asas à imaginação
Voo como uma pena
Que regressa sempre ao coração

Mas só neste ano aprendi
O que as palavras podem fazer de ti
O que os sentimentos
Valem para os ultrapassar os tormentos
Provocados pelos ventos e mar
Que, por vezes, fazem os sonhos parar.

Português é uma língua
De sentido polissémico.
No entanto, paro para pensar
O que me iria acontecer
Se eu a outro país fosse parar.

Nas aulas de Português,
Descobrimos o mundo
Através das palavras
E, às vezes, num segundo,
Aprendemos a sabedoria do universo,
Por vezes contida
Na métrica de um verso.

 

Catarina Casaca, 15 de junho de 2017

 

 


Esta entrada foi publicada em " Conto Contigo". ligação permanente.

Deixe uma resposta